quinta-feira, 29 de abril de 2010

Transmutação Mental


A primeira coisa que se aprende na Umbanda, e que é relembrada sempre, é que semelhante atrai semelhante. Não semelhante fisicamente,mas mentalmente. Se você mantém seus pensamentos em uma vibração boa,fatalmente será direcionado às energias boas e virão, por consequência,mais idéias do mesmo nível. Uma pessoa "afetada" por essa onda mental de qualidade superior tem mais uma qualidade: a de transmutar os pensamentos dos que a rodeiam.
No livro Caibalion, de Hermes Trimegistro, se diz que a mente pode ser transmutada de grau em grau, de estado em estado,de condição em condição, de polo em pólo, de vibração em vibração.A verdadeira transmutação hermética é uma Arte Mental. Se isso é facil? Não, não é. É o dilema dos alquimistas de transmutar chumbo em ouro.
A nossa consciência formada por pensamentos diários é que formata nosso mundo real. Tudo que existe hoje de material e concreto,com exceção da natureza, foi um dia iniciado por um pensamento humano. Tanto as coisas boas como as más. E se a consciência tem tanto poder, gera tanta energia, como é possível acreditar que ela se desvaneça com o falecimento do corpo?
Sócrates, o filósofo e não o jogador, dizia que "o conhecimento já existe no universo, só precisamos pari-lo. E como? Somos todos médiuns em graus diferentes. Um médium é ,simplificando bem, como se fosse um rádio. Ele capta as frequencias vibratórias do "ar" e as transmite de forma que todos possam ouvir. Como num rádio que existe AM e FM, na Umbanda são estas as frequências: Oxalá, Xangô, Ogum, Oxossi, Yansã, Oxum, Yemanjá mais a linha de Omoluh. Cada entidade de cada frequência transmite mensagens necessárias a quem vai procurá-las. Nem mensageiro nem o médium são importantes, o importante é que a mensagem seja passada.
O fato é que independente da religião que temos, ou de nossas ideologias pessoais, somos sim antenas abertas à uma multiplicidade de ondas frequênciais de pensamentos. Qualificá-las como positivas e negativas é muito simplório e improdutivo, porque a gama de pensamentos pode ter um sem-número de cores e formatos. Contudo não somos apenas médiuns receptores, emitimos também uma frequência de pensamentos. Tudo o que você pensa é jogado no ar em busca de uma resposta do Universo. Muitos tem essa consciência, outros nem se importam. Esses que não se importam são os mesmos que poluem a natureza por exemplo, um mal que acaba por ir contra o mal-feitor.
Acredito que dois fatores sejam muito importantes para conseguirmos "parir" idéias produtivas: a primeira é não ter preconceitos, porque eles restringem e cerceiam os pensamentos; a segunda é não ter medo. O medo é o pior sentimento que podemos ter e é altamente limitante a todo nosso potencial.
Se você tem um objetivo na vida e encontra pessoas com pensamentos diferentes dos seus e que de uma forma agressiva vem te "tirar do sério" aqui vai o meu conselho; continue no seu propósito e foque seus pensamentos no bem, porque o resto o Universo resolve.Dedico este texto a todos aqueles que sofrem resistência no seu trabalho pelo bem de suas comunidades. Cada passo que vocês dão em crescimento, cresço junto e agradeço! Saravá!

12 comentários:

  1. ô, my babe: leu meus pensamentos.:)

    de nada adianta recuarmos diante das pedras no caminho.
    por vezes é possível desviá-las.
    mas há horas em que temos, definitivamente, que quebrá-las.
    porém existe também - o que é mais difícil - o tempo de modificá-las.
    o primeiro livro da humanidade foi escrito em pedra por Moisés - e ainda por cima psicografado! - como contou o nosso querido Chico Xavier.
    vamos fazer então das pedras no sapato algo produtivo. que tal?

    saravá!

    bjobjo

    ResponderExcluir
  2. letrinhas perfeitas......fiquei cheia de luz !!!!UH! \O/ OBRIGADÍSSIMA,bjoka na esquerda....

    ResponderExcluir
  3. É isso aí, para parir as idéias precisamos germiná-las. As idéias estão mesmo no ar e quanto mais nos habituamos a compartilhar este conhecimento, mais ele nos é emprestado.

    Quanto as pessoas, aprendi que só anda com pessoa incompatível que quer, quem gosta de uma disputa. Particularmente, hoje, me tornei até um tanto anti-social mas prefiro assim que suportar círculos com pessoas que me fazem resistência.

    É muito melhor procurar-mos por afinidade, pessoas que não nos oferecem qualquer resistência ou ameaça. Aliás estas pessoas se aproximam naturalmente, nem é preciso procurar, apenas reconhecer.

    A natureza é sábia e em sua ordem perfeita.

    Valeu Andréa! suas postagens são sempre bastante elucidativas. Grande Axé!

    ResponderExcluir
  4. Minha DEUSA e AMIGA,
    agradeço a Deus por ter me dado a honra de conhece-la, e por já fazer parte da minha vida e da minha famíla, todos aqui te amamos.
    Depois que a conhecemos, por ser uma pessoa totalmente do BEM, nossos pensamentos sao outros e tenha certeza, hoje temos muito mais vibraçoes positivas do que antes!

    Uma pessoa "afetada" por essa onda mental de qualidade superior tem mais uma qualidade: a de transmutar os pensamentos dos que a rodeiam.

    Você faz isso melhor do que ninguem amiga, por ser do BEM e muito amada!

    bjssss
    @carlafloresadv

    ResponderExcluir
  5. Obrigada,obrigada e obrigada!!

    bjsbjsbjs

    ResponderExcluir
  6. Muitooooo obrigada por este seu post fantástico, iluminado, grandioso e que me trouxe muita energia boa. Grande abraço para vc minha querida. Ana, de Portugal.

    ResponderExcluir
  7. Falou (ou melhor escreveu) bonito e verdadeiro...como sempre!!! beijos no coração minha irmã!!

    ResponderExcluir
  8. Falam que tenho facilidade de lidar com adolescentes e crianças problemáticas (défcit de atenção, transtorno bipolar e afins), como credito que esses problemas são de cunho espiritual me relaciono melhor com elas, e elas me retribuem me dando o que é raro para os outros, atenção. É engraçado quando disem que tenho domínio de classe, não é verdade, faço minha vibração ficar na mesma frequência, e eles prestam atenção por não sentem necessidade de nos desafiar. Requer prática.
    Trabalho com ciência e criatividade e nunca achei que minhas idéias fossem realmente minhas, chego a ouví-las em minha cabeça. Nem vou falar que sonho com Santos Dumont hehe sempre achei que era uma parabólica enorme, e é legal ver que mais gente acha isso também.

    Nos encontramos por sintonia neste mundo hehe!!

    ResponderExcluir
  9. Estamos sim todos em sintonia e todos somos interdependentes.Essa consciência que os antigos tinham,vai voltando aos poucos e como os melhores e mais profundos milagres acontecem devagar, só nos resta fazer a nossa parte e ter paciência!

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  11. Andréa,

    Saiba que não tive acesso à esse artigo antes de postar a mensagem no Twitter. Desse modo, verifica-se que estamos em “sintonia”!!! Rsrsrsrs...

    Concordo com o que escreve, mesmo porque vivenciamos isso na prática, diariamente. Somos seres sociais resultantes de ideias e pensamentos que circundam o nosso imaginário e universo concreto. Vivemos conforme precondições e valores que estabelecemos interna e culturalmente num constante processo de aprendizado diante das relações psicossociais. Mais do que isso, vivemos em permanente conflito entre aquilo que desejamos e o que queremos demonstrar ser em uma sociedade capitalista, imediatista e repleta de condições “instantâneas” e efêmeras. Somos um resultado - ou vários resultados -, um misto entre o que construímos e representamos coletivamente.

    A partir do momento que reconhecemos a presença de outras dimensões abstratas determinantes das nossas ações, verificamos a relevância do “pensar” em nossa vida. Mais do que isso, temos a real proporção das consequências dessas ações. Somos a reunião de vários “desejos subentendidos” ou não. Somos seres em uma infinita condição de transmutação. Buscamos atender aos anseios e desafios propostos, delineados por nossos valores. Somos o reflexo daquilo que desejamos numa ininterrupta reciprocidade.

    De fato, precisamos ser mais flexíveis e sensíveis para que possamos captar a multiplicidade de conhecimentos, de “saberes” que envolve-nos, para que possamos alcançar um estado de “consciência coletiva” conforme postulado por Émile Durkheim. É necessário enfrentar as incertezas e abandonar paradigmas para mergulhar no desconhecido, banindo assim o “medo” e enfrentando desafios que movem para o novo ou o melhor! Além disso, vale ressaltar, que o confronto é necessário para o crescimento, mas desde que tenha um efeito moral que não seja desarmônico, ofensivo e degradante...

    O Universo encarrega-se de mover a trajetória da vida, mas não age sozinho. Seria oneroso demais sobrecarregá-lo dessa forma, uma vez que ele é o resultado das nossas ações coletivas. Não podemos esperar passivamente que ele encarregue-se de modo exclusivo das transmutações. Precisamos ter um estado de consciência plena para alterar o percurso das relações e situações.

    Parabéns pelo blog.

    Ganhou uma nova seguidora aqui e no Twitter. Aguardo-lhe para trocarmos muitas ideias, “cara nova amiga”!!!

    Grande abraço.

    ResponderExcluir